Arias
Duos...
Óperas
Cantatas
Compositoras
Switch to English

Ária: Scintille, diamant

Compositor: Offenbach Jacques

Ópera: Les contes d'Hoffmann

Papel: Dapertutto (Barítono/Baixo)

Descarga música impresa gratis: "Scintille, diamant" PDF
Scintille, diamant,
Miroir où se prend l'alouette,
Scintille, diamant, fascine, attirre-la
L'alouette ou la femme a cet appas vainqueur
Vont de l'aile ou du coeur
L'une y laisse la vie
Et l'autre y perd son âme.
Beau diamant, scintille, attire-la.
Piff, paff, pouff. General Boum. La Grande-Duchesse de Gérolstein. OffenbachNous courons tous après la gloire. Robert. La fille du tambour-major. OffenbachDans une cave obscure. Charles-Simon Favart. Madame Favart. OffenbachC'est un métier difficile. Comte Oscar. Barbe-bleue. OffenbachSi tu savais combine je t'aime. Golo. Geneviève de Brabant. OffenbachLe violonneux du village c'est encor. Père Mathieu. Le violoneux. OffenbachDans les rôles d'amoureux langoureux. Councillor Lindorf. Les contes d'Hoffmann. OffenbachJ'ai des yeux. Coppèlies. Les contes d'Hoffmann. OffenbachQuand du four on le retire. Charles-Simon Favart. Madame Favart. OffenbachA tous les métiers, moi, j'excelle. Vertigo. Pépito. Offenbach
Wikipedia
Les contes d'Hoffmann (Os Contos de Hoffmann) é uma ópera de Jacques Offenbach, com libreto escrito por Jules Barbier, baseado em três contos de E.T.A. Hoffmann, que é ele próprio um dos personagens da obra. Teve a sua estreia em Paris, na Opéra-Comique, em 10 de fevereiro de 1881.
Barbier e Michel Carré tinham composto anteriormente Les contes d'Hoffmann fantastiques, que foi produzido no Teatro Odéon em Paris em 1851, e que Offenbach tinha visto. Depois de voltar da América, em 1876 ele descobriu que Barbier tinha adaptado a composição e ela estava sendo executada por Hector Salomon na Ópera. Salomon entregou o projeto para Offenbach. O trabalho avançou lentamente, interrompido pela composição de obras mais leves e rentáveis. O próprio Offenbach teve uma premonição de que iria morrer antes de sua conclusão. Ele continuou a trabalhar na ópera durante 1880, participando de alguns ensaios, mas morreu em 5 de outubro com o manuscrito na mão quatro meses antes da abertura. Pouco antes de morrer, ele havia escrito para Léon Carvalho: "Apresse-se e encene minha ópera. Não me resta muito tempo e meu único desejo é participar da noite de abertura".
A mais famosa ária da ópera é a "barcarola" (Belle nuit, ô nuit d'amour), que é realizada no 3º Ato. Curiosamente, a ária não foi escrita para Os Contos de Hoffmann. Ela é uma ghost-song na ópera Les fées du Rhin, que estreou em Viena em 8 de fevereiro de 1864 como Die Rheinnixen.
A barcarola foi incorporada em muitos filmes, incluindo A Vida é Bela e Titanic.